segunda-feira, 30 de abril de 2007

Em foco: Dady, o talismã do Restelo


O ‘camisola 30’ do Belenenses obteve este fim-de-semana o décimo golo na Liga. Se juntarmos os três tentos obtidos na Taça de Portugal, o total de remates certeiros do avançado atinge os 13. No entanto, neste caso, o número está longe de significar azar individual e colectivo.
Há uma enorme curiosidade nos golos do dianteiro, pois o conjunto ‘azul’ venceu sempre que o avançado fez o ‘gosto ao pé’. Ou seja, Dady a marcar é sinónimo de Belenenses a ganhar. Foi assim nos dez jogos do Campeonato e nos três da Taça de Portugal. O futebolista torna-se, desta forma, um talismã para o emblema da ‘Cruz de Cristo’ quando visa as redes adversárias.

SEGUNDA METADE DA ÉPOCA EM GRANDE

O ex-Estoril fez uma primeira volta intermitente. Alternou a titularidade (oito vezes, em cinco foi substituído) com a condição de suplente utilizado (6 vezes), falhando apenas um jogo, na 3.ª jornada, em Coimbra, não saindo do banco. Na primeira metade da temporada, o dianteiro ‘azul’ apontou dois tentos.
Na segunda volta, Dady explodiu definitivamente. Foi titular nos 12 embates realizados até ao momento, sendo apenas substituído numa partida. O aumento do número de minutos em jogo traduziu-se no rendimento do jogador, que foi autor de mais oito remates certeiros. Actualmente, o atacante do Belenenses ocupa o terceiro lugar na lista de goleadores, ao lado do portista Hélder Postiga, e está a apenas um tento do benfiquista Simão e do sportinguista Liedson.

OS NÚMEROS DE DADY
Jogos na Liga: 26
Jogos a titular: 20 (8 na 1.ª volta e 12 na 2.ª)
Jogos como suplente utilizado: 6 (todos na 1.ª volta)
Jogos em que não foi utilizado: 1
Jogos completos: 14 (3 na 1.ª volta e 11 na 2.ª)
Jogos incompletos: 12 (11 na 1.ª volta e 1 na 2.ª)
Minutos jogados: 1881’ (821’ na 1.ª volta e 970’ na 2.ª)
Média de minutos jogados por jogo: 72’
Golos: 10
Golos na 1.ª volta: 2
Golos na 2.ª volta: 8

OS GOLOS
Liga:
8.ª jornada - Aves (fora) 1-0
12.ª jornada - Beira-Mar (fora) 2-1
17.ª jornada - Vit. Setúbal (fora) 1-0
19.ª jornada - Naval (fora) 3-2
21.ª jornada - Nacional (casa) 2-0
22.ª jornada - Paços Ferreira (fora) 2-0
23.ª jornada - Aves (casa) 1-0
24.ª jornada - Leiria (fora) 1-0
25.ª jornada – Estrela Amadora (casa) 3-0
27.ª jornada – Beira-Mar (casa) 2-0
Taça de Portugal:
4.ª eliminatória – Paredes (fora) 4-2 a.p.
quartos-de-final – Bragança (fora) 2-1
meias-finais – Braga (casa) 2-1 a.p.

Foto: Hugo Santos

domingo, 29 de abril de 2007

Bwin Liga: Benfica e Sporting empatam e favorecem Porto

Os 'encarnados' ainda não tinham perdido em casa, enquanto que os 'leões' não haviam sido derrotados fora. E assim continuam. O 'derby' da Luz terminou com o resultado que mais vezes se verificou na história dos confrontos entre os dois emblemas no recinto benfiquista: 1-1. Pela décima vez cada conjunto celebrou a obtenção de um golo. Com este desfecho, o Benfica fica, praticamente, arredado do título e deixa de depender de si próprio para chegar ao segundo lugar. Quanto ao Sporting perde a possibilidade de se aproximar do primeiro lugar, mas está mais perto de conseguir o posto subsequente. Em suma, a igualdade foi um mal menor para o emblema leonino, pese embora o grande beneficiado ter sido o Porto, que, assim, mantém a liderança com menor risco de ameaça.
Ao contrário do esperado, Simão não reunia as condições necessárias para competir e não subiu ao relvado, tendo Fernando Santos optado pelo 'onze' utilizado na ronda anterior. No lado oposto, em relação ao último jogo, Paulo Bento trocou Alecsandro por Yannick.
Os 'verde-e-brancos' entraram melhor e lograram chegar à vantagem logo aos dois minutos, quando Liedson correspondeu da melhor maneira a cruzamento de Abel, cabeceando para o fundo das redes de Quim.
Até ao minuto 20 o domínio do prélio foi pertença do clube de Alvalade. Após esse período, as 'águias' equilibraram as operações, chegando à igualdade através de Miccoli, ao minuto 24.
Depois de um nivelamento de forças até ao descanso, o Benfica veio com mais força para a etapa complementar. Contudo, o Sporting soube conter o maior ascendente dos homens de Fernando Santos no primeiro quarto-de-hora e voltou a repor um equilíbrio na partida.
A repartição do domínio de jogo e as raras ocasiões de golo traduzem que a produção dos dois conjuntos acaba por se ajustar ao desfecho final.
Uma palavra também para a arbitragem. Se no capítulo técnico, Pedro Henriques actuou bem, na parte disciplinar teve falhas, com claro prejuízo para os 'encarnados'. Alguns cartões ficaram por mostrar, outros foram mostrados indevidamente e Caneira foi, por duas vezes, poupado à expulsão. Na primeira parte, o defesa leonino viu o amarelo quando travou Miccoli, que seguia isolado para a baliza, e se justificava o vermelho. Na segunda metade, depois de uma entrada sobre Karagounis, foi-lhe perdoado o segundo amarelo.

Aves foi o vencedor dos aflitos


Dos outros desafios da ronda merece destaque a equipa do prof. Neca. Ao vencer na Figueira da Foz, os avenses saltaram, pela primeira vez na época, para cima da 'linha de água', por troca com o Vit. Setúbal, que não foi além de um empate caseiro ante o Marítimo.
Por sua vez, o Nacional regressou às vitórias, vencendo o Estrela da Amadora.

Braga vence em Coimbra no fecho da ronda

A jornada 27 ficou concluída na noite de segunda-feira. Os arsenalistas deslocaram-se à cidade dos estudantes e venceram a Académica por 1-0, com um golo de Zé Carlos aos 67 minutos. No final do encontro, a arbitragem de Olegário Benquerença foi contestada pela equipa da casa.
Com este resultado, adivinha-se um interessante duelo entre os bracarenses e o Belenenses no próximo domingo. A luta pelo quarto lugar está ao rubro, pois as duas equipas estão separadas por apenas três pontos, com vantagem dos 'azuis'.

Resultados da 27.ª jornada

Paços Ferreira - União Leiria, 0-0
Belenenses - Beira-Mar, 2-0 (Garcês e Dady)
Boavista - Porto, 2-1 (Ricardo Silva e Zé Manuel; Lucho [g.p.])
Nacional - Estrela Amadora, 1-0 (Juliano [g.p.], 90')
Naval - Aves, 0-1 (Jorge Ribeiro)
Vit. Setúbal - Marítimo, 1-1 (Varela; Lipatin)
Benfica - Sporting, 1-1 (Miccoli; Liedson)
Académica - Braga, 0-1 (Zé Carlos)

Classificação
1.º PORTO 62 pontos
2.º Sporting 59
3.º Benfica 58
4.º Belenenses 46
5.º Braga 43
6.º Paços Ferreira 40
7.º União Leiria 36
8.º Nacional 35
9.º Boavista 32
10.º Marítimo 31
11.º Naval 31
12.º Estrela Amadora 28
13. Académica 25
14.º Aves 22
15.º Vit. Setúbal 21
16.º Beira-Mar 19

Melhores marcadores
1.º Simão (Benfica) e Liedson (Sporting) 11
3.º Hélder Postiga (Porto) Dady (Belenenses) 10
5.º Linz (Boavista), Adriano e Lucho (Porto) e Nei (Naval) 9
9.º Zé Pedro (Belenenses) e Miccoli (Benfica) 8

Fotos: Hugo Santos

sábado, 28 de abril de 2007

Bwin Liga: Campeonato relançado com derrota do Porto no Bessa

O 'derby' portuense foi empolgante e acabou por ampliar as emoções para o confronto de domingo entre Benfica e Sporting. A luta pela conquista do título pode ganhar um novo interesse.
No encontro do Bessa, entrou melhor o Boavista. Aos 14 minutos, Ricardo Silva adiantou os 'axadrezados' no marcador, num cabeceamento certeiro, após a cobrança de um pontapé de canto. Na primeira metade, o domínio de jogo foi quase exclusivo dos pupilos de Jaime Pacheco. O Porto deu mostras de reacção apenas na parte final do período inicial.
Jesualdo Ferreira lançou Anderson no lugar de Hélder Postiga, ao intervalo, e o brasileiro viria a ser o jogador mais clarividente dos 'dragões. Contudo, o reatamento da partida começou, praticamente, com o segundo golo 'xadrez'. Em lance de contra-ataque, Zé Manuel, lançado por Grzelak, ganhou em velocidade à defesa portista e, em frente a Helton, fez o 2-0.
O Boavista parecia ter o jogo controlado, mas uma falha de Ricardo Silva permitiu a Adriano ganhar uma grande penalidade. O estreante gurada-redes Jehle, já amarelado, viu o segundo cartão e foi expulso. Lucho converteu o castigo máximo e o Porto dispunha de mais de duas dezenas de minutos para igualar a contenda. No entanto, os 'azuis-e-brancos' não conseguiram alcançar o empate.

Paços mais perto da Europa e Beira-Mar mais longe da manutenção

Nos outros dois encontros já realizados da 27.ª jornada, Belenenses e Paços de Ferreira ficaram mais perto de alcançar os seus objectivos.
O clube da 'Cruz de Cristo' voltou a confirmar o seu bom momento de forma. Os 'azuis' venceram o Beira-Mar por 2-0, golos de Garcês e Dady, consolidando o quarto lugar na tabela. Por seu turno, os aveirenses irão passar mais uma jornada abaixo da 'linha de água', aguardando os desfechos dos jogos do Aves, na Figueira da Foz, e do Setúbal, que recebe o Marítimo.
Na Mata Real, os pacenses empataram com a União de Leiria, mantendo, assim, os quatro pontos de vantagem para a formação do Lis. A meta UEFA parece mais próximo dos comandados de José Mota.


Foto: Hugo Santos

Internacional: Manchester United a caminho do título inglês


Ao vencer por 4-2 no terreno do Everton e beneficiando do empate do Chelsea (2-2) ante o Bolton, os 'red devils' deram um passo largo rumo à conquista do ceptro da Premier League.
Ao intervalo, o clube de Old Trafford perdia 1-0, em Liverpool, e estava igualado na tabela com a equipa de José Mourinho, que liderava o marcador no seu jogo por 2-1. No entanto, rapidamente se diluiu a ideia de que a luta pelo título estava mais ao rubro que nunca. Na etapa complementar, o Manchester United, que, entretanto, tinha já permitido aos 'tofees' chegar ao segundo golo, inverteu o marcador para 4-2 e viu os 'blues' ceder a igualdade. Em 45 minutos, os 'red devils' ganharam cinco pontos, tantos quantos têm agora de vantagem para o Chelsea, a três desafios do fim da prova. A conquista do título inglês parece estar, desta forma, destinada ao emblema orientado por Alex Ferguson.
A finalizar, há a referir que Ricardo Carvalho foi titular no Chelsea, Cristiano Ronaldo entrou na segunda parte no triunfo do Manchester United e que Manuel Fernandes fez parte do 'onze' inicial do Everton, tendo sido o autor do segundo golo da equipa.

História : Benfica com vantagem clara nas recepções ao Sporting


'Águias' e 'leões' defrontaram-se 72 vezes no reduto 'encarnado', em jogos a contar para o Campeonato. O clube da Luz faz jus ao favoritismo resultante da condição de visitado, registando um domínio claro sobre o velho rival: 39 vitórias (54.2%), 19 empates (26.4%) e 14 derrotas (19.4%), com 151 golos marcados e 99 sofridos.
No que concerne a goleadas, as mais expressivas foram também aplicadas pelo Benfica. Em duas ocasiões a diferença verificada no marcador foi de cinco golos, mas com números diferentes. Na época 45/46 as 'águias' venceram por 7-2, enquanto que em 78/79 lograram alcançar uma vitória por 5-0. Por sua vez, o desfecho mais concludente a favor do Sporting foi de 4-1, marca obtida em 38/39 e em 47/48.
Como curiosidade, o resultado que mais vezes aconteceu neste 'derby' lisboeta foi o 1-1, com que terminaram nove dos 72 embates realizados entre os dois emblemas no palco 'encarnado'.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Entrevista - Marco Paulo: "Sempre acreditámos no nosso valor"


Apontado como um dos candidatos à descida, sobretudo depois de um mau começo de época, o Estrela da Amadora não quebrou. Deu a volta por cima e tem presença garantida na Liga da próxima temporada. Nesta entrevista, o influente médio Marco Paulo analisa a carreira da equipa, o seu desempenho individual e expõe algumas das ideias que tem para o seu futuro ligado ao ‘desporto-rei’.

Rola a Bola – Ainda que não esteja já a salvo matematicamente, o Estrela da Amadora, com a vitória sobre o Boavista, ficou nove pontos acima da ‘linha de água’ a quatros jornadas do final. Sente que a permanência está garantida?
Marco Paulo – Sabemos que esta vitória sobre o Boavista foi importante, porque nos dá, realmente, uma vantagem bastante confortável. Em 12 pontos possíveis, temos nove de vantagem e só mesmo um descalabro nos impediria de assegurar a manutenção. Para isso acontecer, tínhamos que não fazer pontos e os outros conseguirem vitórias em, praticamente, todos os jogos, o que será difícil. Por isso, esta vitória deu-nos, praticamente, a permanência.
- Nas sete primeiras jornadas, a equipa ‘tricolor’ apenas havia somado um ponto. Normalmente um conjunto nestas condições regista uma quebra anímica e a recuperação torna-se difícil. O Estrela conseguiu-a. A que se deve essa subida de rendimento?
- Acho que houve vários factores, mas o principal talvez tenha sido o facto de os jogadores terem acreditado sempre no seu valor. Para além disso, as pessoas que nos rodeiam também manifestaram sempre a sua crença e o seu voto de confiança em nós. Depois, o aparecimento das vitórias, especialmente quando passámos a jogar na Reboleira [os primeiros três jogos caseiros foram em casa emprestada], deu-nos confiança para encarar o futuro de uma forma positiva.
- Até que ponto o apoio que a direcção concedeu à equipa técnica nesse momento complicado teve peso na subida do Estrela na tabela?
- A direcção acreditou na equipa técnica e em nós. Deu tempo para que o trabalho que vínhamos desenvolvendo começasse a dar frutos e penso que foi isso que aconteceu.
- O que normalmente não acontece em Portugal…
- Há a procura do resultado no imediato e, muitas vezes, não se dá tempo para que as coisas comecem a engrenar. Com muitos jogadores novos, tem que haver um conhecimento uns dos outros para que as coisas aconteçam.

“NÃO SOMOS UMA EQUIPA MUITO OFENSIVA”

- O Estrela recuperou, registando uma série de nove encontros sem perder, mas viria a passar, novamente, por uma fase em que não saboreou um triunfo durante cinco partidas consecutivas. Como explica esta irregularidade da equipa?
- Tivemos uma série boa, a equipa não mudou os jogadores e manteve praticamente a mesma estrutura. Depois, talvez existam dois factores que tenham influenciado a entrada numa fase menos boa: a mudança de estrutura e, se calhar, um certo relaxamento dos jogadores, por pensarem que naquela fase eram só vitórias.
- Dos 28 pontos conquistados pela equipa amadorense, 22 são caseiros e apenas seis foram conquistados em reduto alheio. Quais as razões para tamanha discrepância de rendimento entre os jogos em casa e os realizados fora de portas?
- Se calhar, o factor casa resulta mesmo em termos psicológicos ou então devido ao facto de o nosso campo ter algumas características próprias. Talvez seja isso que nos leve a obter bons resultados em casa. Conseguimos apenas uma vitória fora e alguns empates, nos quais poderíamos ter conseguido ganhar alguns, pois estivemos em vantagem. De qualquer maneira, penso que isso pode explicar-se pelo facto de o nosso campo ter algumas características especiais.
- Até porque os adeptos não costumam marcar presença em grande número…
- Sim, tanto em caso como fora são poucos, infelizmente. Quem é da Amadora, normalmente, é do Benfica ou do Sporting e só depois é que é do Estrela. É sempre um clube secundário nesse aspecto.
- Com 20 golos marcados, o Estrela é o terceiro pior ataque do Campeonato. Acha que se trata de uma equipa pouco vocacionada para atacar?
- Sim, penso que o Estrela não tem um pendor atacante muito acentuado nos jogos. É uma equipa que vale pelo seu conjunto, que procura defender bem e depois tentar marcar. Temos muitos resultados de 1-0 e, realmente, não somos uma equipa muito ofensiva.

“DAÚTO FOI O PRINCIPAL FACTOR DA MINHA VINDA PARA O ESTRELA”

- A sua vinda para o clube da Reboleira está relacionada com o facto de encontrar Daúto Faquirá, seu treinador na temporada transacta ao serviço do Estoril?
- Sim, sem dúvida. O Daúto quis que viesse para o Estrela, apesar de na época passada já terem havido algumas conversas com o clube que, no entanto, não acabaram em contratação. O Daúto foi o principal factor, apesar de haver opiniões favoráveis do presidente e de alguns jogadores que já me conheciam.
- Fez 21 jogos para o campeonato e apontou um golo, falhando apenas cinco embates, devido, sobretudo, a impedimentos por lesão. Qual o balanço que faz da temporada em termos individuais?
- Penso que a época está a ser positiva para mim. Um dos objectivos que tinha era fazer o maior número de jogos possível e o número de jogos que fiz é positivo. Em termos exibicionais, as actuações também foram positivas.
- Está prestes a completar 34 anos, mas revela uma frescura física capaz de fazer inveja a um jovem jogador. Qual o seu segredo?
- Penso que isso já faz parte da minha estrutura física, mas também tenho uma vida cuidada e não cometo grandes excessos. Não há nenhum segredo. Não há nenhuma erva nem nada! (risos)

“NÃO QUERO SER TREINADOR NOS PRÓXIMOS ANOS”

- Tem mais um ano de contrato com o emblema ‘tricolor’. O que pensa fazer depois?
- Não sei. Nunca tenho feito grandes planos a longo prazo. Agora o objectivo é tentar manter o ritmo que tenho tido em termos de jogos, ser titular e fazer o maior número possível de jogos. Depois, logo se verá, como vou acabar a próxima época. Não tenho planos de acabar hoje ou acabar amanhã. Vou jogando e vou vendo.
- Viveu uma curta experiência como treinador-jogador na pretérita temporada no Estoril, fruto das circunstâncias. Ser técnico é algo que pretende fazer futuramente?
- Como prioridade, não quero ser treinador, pelo menos nos próximos anos. Talvez continuar ligado ao futebol, mas como treinador, para já, não é um objectivo.
- Pretende manter-se ligado de que forma?
- Para já, a jogar enquanto puder. Depois, a seguir, estar num clube, mas não com as funções de técnico principal. Talvez começar pelo futebol juvenil, atrai-me mais do que, propriamente, entrar no futebol profissional ou no futebol sénior.


CURTAS

“VITÓRIA NO DRAGÃO? FOI PENA NÃO TER APOSTADO!”

O Estrela da Amadora regista somente um triunfo extramuros e não deixa de ser curioso que esse resultado tenha acontecido no terreno do Porto, campeão nacional e líder da actual Liga. “Foi o jogo em que, talvez, tínhamos menos probabilidades teóricas de ganhar”, reconhece Marco Paulo, que graceja com a situação: “Foi pena não ter apostado na Betandwin! (risos).”

“GOSTAVA DE TER JOGADO NO RESTELO”
O Belenenses é um clube especial para o médio do Estrela. Dos cinco jogos que falhou até ao momento na Liga, dois foram diante do emblema da ‘Cruz de Cristo’. Uma lesão impediu-o de reencontrar a massa adepta ‘azul’ há duas semanas. “Não fiz nenhum dos jogos contra o Belenenses. Foi um clube que representei durante quatro épocas e do qual guardo boas recordações. Sinceramente, gostava de ter defrontado o Belenenses, no Restelo, por ter alguma ligação com o clube e por tudo o que lá passei”, afirma o ‘camisola 14’ dos amadorenses.

“SATISFEITO COM A CARREIRA”
Além de imprescindível dentro de campo para os técnicos dos clubes que representou, Marco Paulo transpareceu sempre a ideia de ser uma peça importante nos balneários por onde passou. “Também tenho tido esse ‘feed-back’ das pessoas. Sentem que sou um jogador que não complica e que tenta fazer um bom ambiente de trabalho para os clubes terem sucesso”, reconhece o experiente atleta. Sendo uma peça fundamental dentro e fora das quatro linhas, será que o futebolista, que vestiu as camilosas do Estoril (por duas ocasiões), do Paços de Ferreira, do Belenenses e presentemente do Estrela da Amadora, pensa que poderia ter atingido outros patamares? “Temos sempre o sonho de jogar em clubes de maior dimensão, mas estou satisfeito pela carreira que tenho vindo a fazer. Sempre dei o meu máximo e quanto a isso estou de consciência tranquila.”

“GOLFE É UM VÍCIO”
O futebol não é único desporto presente na vida do centrocampista. Uma outra paixão por uma modalidade desportiva surgiu há cerca de quatro anos: “Fui experimentar jogar golfe com o massagista do Belenenses, que já praticava, e com outros colegas. Durante a hora de almoço íamos experimentar para o Estádio Nacional. Esse gosto foi aumentando e tornou-se um vício. Pode dizer-se que o golfe é um vício. Quem experimenta e consegue dar uma boa pancada, a partir daí está completamente ‘agarrado’.” O futebolista, inclusive, já participou em alguns torneios, “apesar de o tempo ser pouco, porque normalmente realizam-se ao fim-de-semana”. Em relação ao golfe, o ‘14 tricolor’ deixa um lamento que diz bem do seu gosto pela modalidade. “Tenho pena de não ter começado mais cedo, porque é um desporto bastante agradável”, finaliza.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Voleibol: Benfica conquista Taça de Portugal


Ao vencer o Castelo da Maia, na final disputada em Resende, por 3-0 (25-23, 27-25 e 25-23), os 'encarnados' celebraram a conquista da prova pela 12.ª vez. O clube da Luz reforçou, assim, o estatuto de maior vencedor da competição, somando mais duas conquistas que o Espinho, que levantou o troféu em dez ocasiões.

Lista de vencedores: Benfica(12), Espinho (10), Porto (6), Leixões (5), Castelo Maia (4), Sporting (3), Técnico, Esmoriz e ISEF Lisboa (1).

Liga dos Campeões: Chelsea ganha vantagem sobre Liverpool


José Mourinho ficou mais perto de voltar a experimentar a sensação de marcar presença numa final da 'Champions'. Os londrinos bateram os 'reds' por 1-0 e, apesar de tudo estar ainda em aberto para o encontro da segunda-mão, ficam mais perto de alcançar um dos objectivos da época: conquistar a prova máxima do futebol europeu.
Um golo de Joe Cole, ao minuto 39, após assistência de Drogba - que deu seguimento a um excelente lançamento de Ricardo Carvalho -, permite aos 'blues' partir em superioridade para Anfield.

CHELSEA - LIVERPOOL, 1-0
Estádio Stamford Bridge (Londres)
Árbitro: Markus Merk (Alemanha)
Chelsea - Cech; Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Terry e Ashley Cole; Makelele, Mikel, Lampard e Joe Cole (Wright-Phillips, 85'); Drogba e Shevchenko (Kalou, 76').
Treinador: José Mourinho
Liverpool - Reina; Arbeloa, Carragher, Agger e Riise; Mascherano, Alonso (Pennant, 83'), Gerrard e Zenden; Bellamy (Crouch, 53') e Kuyt.
Treinador: Rafa Benítez
Ao intervalo: 1-0
Marcador: Joe Cole (29')
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Mascherano (77')

Foto: Hugo Santos

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Liga dos Campeões: Manchester vence Milão em jogo de sonho


'Red devils' e 'rossoneri' proporcionaram ontem um embate digno da 'Champions', na primeira-mão das meias-finais da prova. Naquele que foi o mais espectacular jogo da actual edição da 'milionária', os ingleses levaram a melhor, vencendo por 3-2.
Num embate electrizante, no qual se verificaram duas reviravoltas no marcador, emergiram três jovens 'estrelas' do futebol mundial: o português Cristiano Ronaldo, o inglês Wayne Rooney e o brasileiro Kaká. Curiosamente, para além das formidáveis jogadas com que brindaram os milhares de espectadores no estádio e os milhões que assistiram via-televisão, este 'trio-maravilha' foi responsável pela obtenção dos cinco golos da partida.
Entrou melhor o Manchester United, em busca de vantagem na eliminatória. Conseguiu-o logo aos cinco minutos, por intermédio de Cristiano Ronaldo num golpe de cabeça.
O Milão poderia quebrar animicamente por sofrer um tento numa fase precoce da partida, mas tal não se verificou. A resposta transalpina não tardou muito. Kaká em 15 minutos (22' e 37') inverteu o 'placard', em dois lances que patentearam bem o virtuosismo técnico do internacional 'canarinho'.
Limitado nas opções de banco, fruto de várias ausências, Ferguson não tinha alternativas para procurar virar o rumo dos acontecimentos. Ainda assim, e mesmo sem operar qualquer substituição, os 'red devils' não denotaram qualquer desgaste e pressionaram os milaneses até final. Tal acção seria premiada nos descontos, quando Rooney, que já havia empatado o desafio aos 59 minutos, bisou e garantiu o triunfo dos líderes da Premier League.
A eliminatória fica, desta forma, em aberto para o prélio de Milão, a realizar na próxima terça-feira, onde se prevê mais um jogo de alto nível e emoções fortes.
Esta quarta-feira, o Chelsea recebe o Liverpool na outra meia-final da Liga dos Campeões.

MANCHESTER UNITED - MILÃO, 3-2
Estádio Old Trafford (Manchester)
Árbitro: Kyros Vassaras (Grécia)
Manchester United - Van der Sar; O´Shea, Brown, Heinze e Evra; Carrick, Fletcher, Scholes, Giggs e Cristiano Ronaldo; Rooney.
Treinador: Alex Ferguson
Milão - Dida; Oddo, Nesta, Maldini (Bonera, 46') e Jankulovski; Gattuso (Brocchi, 53'), Ambrosini, Pirlo, Seedorf e Kaká; Gillardino (Gourcuff, 84')
Treinador: Carlo Ancelotti
Ao intervalo: 1-2
Marcadores: Cristiano Ronaldo (5') e Rooney (59' e 90'); Kaká (22' e 37')
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Evra (42')e Giggs (62'); Kaká (62') e Bonera (74').

Foto: Hugo Santos

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Pergunta da semana: Qual vai ser o resultado do 'derby' lisboeta?

Benfica e Sporting defrontam-se no próximo domingo. O título está longe para ambos os conjuntos, mas o clássico do fim-de-semana poderá, pelo menos, ter um peso importante ou até decisivo na atribuição do segundo lugar. A luta por um lugar directo na 'Champions' está ao rubro.
Na primeira volta, os 'encarnados' venceram em Alvaldade por 2-0, como golos de Ricardo Rocha e Simão. Agora como será?
Vencerá o Benfica? O clube da Luz está no terceiro lugar com 57 pontos, resultantes de 17 vitórias, seis empates e três derrotas, com 49 tentos marcados e 18 sofridos. Em casa, as 'águias' são a única equipa que ainda não conheceu o sabor da derrota. Porto (1-1), Beira-Mar (2-2), Braga (0-0) e Marítimo (3-0) são os últimos resultados de um Benfica que parece ter perdido algum fulgor.
Ganhará o Sporting? Os 'leões' ocupam o segundo lugar com 58 pontos, fruto de 17 triunfos, sete igualdades e dois desaires. O emblema de Alvalade concretizou 44 golos e concedeu apenas 13, sendo a melhor defesa da prova. Fora de portas, o conjunto 'verde-e-branco' é detentor exclusivo da invencibilidade. De referir que o Sporting vem de uma série de cinco vitórias para a Liga, atravessando o melhor período da temporada.

Deixe aqui o seu comentário com o prognóstico para o 'derby' de Lisboa.

Internacional: Cristiano Ronaldo e Figo em grande


Os dois extremos portugueses viveram um domingo para recordar. O jogador do Manchester United foi eleito o melhor jogador e o melhor jovem a actuar na Premier League, numa votação feita pelos futebolistas que participam na competição. Os 16 golos obtidos no campeonato e as inúmeras assistências contribuíram decisivamente para o madeirense suplantar Drogba (Chelsea) na distinção geral e Fabregas (Arsenal) no prémio referente aos mais novos. Obviamente, Cristiano Ronaldo integra também a equipa ideal da prova. Agora só lhe falta conquistar o título inglês.
Se o 'camisola 7' do Manchester United está envolvido na luta pelo ceptro da Premier League, Luís Figo já fez a festa. O Inter sagrou-se ontem bi-campeão italiano e o português somou o 21.º título da sua carreira. O 'Pastilhas' arrecadou troféus em todos os clubes que representou, apenas lhe faltando uma grande conquista em termos de Selecção A. De salientar que o palmarés de Figo só inclui uma competição nacional, a Taça de Portugal, e que pode ainda chegar so 22.º título na época em curso, caso o Inter se superiorize à Roma na final da Taça de Itália.

Currículo de Figo:

1 Campeonato europeu de sub-16 (1989)
1 Campeonato mundial de sub-20(1991)
1 Taça de Portugal (1995)
3 Supertaças espanholas (1996, 2001 e 2002)
1 Taça das Taças, (1997)
2 Taças do Rei de Espanha (1997 e 1998)
2 Supertaças Europeias (1997 e 2002)
4 Campeonatos de Espanha, 4 (91998, 1999, 2001 e 2003)
1 Liga dos Campeões (2002)
1 Taça Intercontinental (2002)
1 Taça de Itália (2006)
1 Supertaça italiana (2006)
2 Campeonatos de Itália (2006 e 2007)
Clubes representados: Sporting (1989-1995), Barcelona (1995-2000), Real Madrid (2000-2005) e Inter Milão (2005-2007)

Foto: Hugo Santos

Em foco: João Moutinho de pé quente


Há dez dias, o 'camisola 28' do Sporting apenas havia celebrado um golo na época em curso. Repentinamente, o jovem internacional português elevou a sua conta pessoal para cinco tentos. Em pouco mais de uma semana, João Moutinho facturou por quatro vezes. A 13 de Abril fez o 3-0 na vitória leonina sobre o Marítimo. Cinco dias depois, o médio repetiu a dose, mas de forma dupla, bisando no encontro frente ao Beira-Mar para a Taça de Portugal. Nesta partida, não só fez o gosto ao pé, como também à cabeça. Apesar da baixa estatura (1,68m), o segundo golo aos aveirenses resultou de um vistoso cabeceamento. Faltava somente um remate certeiro para 'encher a mão' e isso aconteceu ontem. O centrocampista 'verde-e-branco' fechou a goleada à Naval, na conversão de uma grande penalidade.
Com este registo, João Moutinho ultrapassou a marca da pretérita temporada, em que obteve quatro tentos, todos no Campeonato.
Resta agora esperar para saber se a série de desafios do jogador a marcar irá ter continuidade no 'derby' da Luz...

Foto: Hugo Santos

domingo, 22 de abril de 2007

Bwin Liga: Porto mais perto do título e Sporting cumpre missão


Depois da vitória do Benfica nos Barreiros, portistas e 'leões' entravam em campo com necessidade imperativa de vencer. E ambos o conseguiram.
No Dragão, os 'azuis-e-brancos' bateram, por 3-1, um eufórico Belenenses, motivado pelo apuramento para a Final da Taça de Portugal e por uma série de cinco triunfos na Liga. Adriano, Lucho (na marcação de uma grande penalidade) e Bruno Alves marcaram para os portistas, respondendo Nivaldo para os homens do Restelo. O Porto fica, assim, a três vitórias de festejar o título.
Nunca tendo saído derrotada de Alvalade nos confrontos anteriores, a Naval não conseguiu repetir a proeza desta feita, acabando, inclusive, por ser goleada. Os homens de Paulo Bento vinham embalados por seis vitórias consecutivas (cinco para o Campeonato e uma para a Taça) e repetiram o resultado alcançado frente ao Marítimo na ronda anterior. Alecsandro foi a grande figura do encontro ao fazer um 'hat-trick', cabendo a João Moutinho fixar o 4-0 final, na conversão de um castigo máximo. O Sporting recuperou, desta forma, o segundo lugar, em vésperas da deslocação à Luz.
Igualmente em alta está o Paços de Ferreira, que deu um importante passo rumo ao objectivo UEFA. Os pacenses quebraram o ciclo vitorioso do Aves, ganhando fora por 1-0. Idêntico resultado obteve a União de Leiria na recepção ao Nacional e a Académica na visita a Aveiro, resultado que lhe permite estar mais próxima do objectivo manutenção.
A fechar a jornada, o Vitória de Setúbal impôs um nulo em Braga, arrecadando um precioso ponto, face aos desaires dos principais concorrentes A luta pela permanência parece resumir-se a três equipas: Beira-Mar, Vit. Setúbal e Aves.

26.ª jornada
Estrela Amadora - Boavista, 2-1 (Moses e Luís Loureiro; Hélder Rosário)
Marítimo - Benfica, 0-3 (Miccoli [2] e Katsouranis [g.p.])
Aves - Paços de Ferreira, 0-1 (Ricardinho)
União Leiria - Nacional, 1-0 (Slusarski)
Porto - Belenenses, 3-1 (Adriano, Lucho [g.p.] e Bruno Alves; Nivaldo)
Sporting - Naval, 4-0 (Alecsandro [3] e João Moutinho [g.p.])
Beira-Mar -Académica, 0-1 (Gyano)
Braga - Vit. Setúbal, 0-0

Classificação
1.º PORTO 62 pontos
2.º Sporting 58
3.º Benfica 57
4.º Belenenses 43
5.º Braga 40
6.º Paços Ferreira 39
7.º União Leiria 35
8.º Nacional 32
9.º Naval 31
10.º Marítimo 30
11.º Boavista 29
12.º Estrela Amadora 28
13. Académica 25
14.º Vit. Setúbal 20
15.º Beira-Mar 19
16.º Aves 19

Melhores marcadores
1.º Simão (Benfica) 11
2.º Hélder Postiga (Porto) e Liedson (Sporting) 10
4.º Dady (Belenenses), Linz (Boavista), Adriano (Porto) e Nei (Naval) 9
8.º Zé Pedro (Belenenses) e Lucho Gonzalez (Porto) 8

Foto: Hugo Santos

sábado, 21 de abril de 2007

Curiosidade: Miccoli e a ilha da fortuna


A Madeira é uma autêntica pérola do Atlântico para o avançado transalpino do Benfica. Nas três vezes em que visitou este arquipélago, o 'camisola 30' do clube da Luz fez sempre o gosto ao pé.
Na temporada transacta, Miccoli falhou o jogo diante do Marítimo, actuando somente frente ao Nacional. Os 'encarnados' empataram a uma bola, com o tento inicial da partida a ser obtido pelo 'pequeno bombardeiro'.
Já na época em curso, o italiano teve ainda mais motivos para sorrir. Para além de ter vencido na Choupana (2-0) e nos Barreiros (3-0), o atacante bisou em ambos os encontros.
Em suma, em três partidas na ilha, o dianteiro apontou cinco golos. É caso para colocar-lhe a pergunta: o que têm os ares da Madeira, Miccoli?

Bwin Liga: Benfica regressa às vitórias


Depois de três empates consecutivos, os 'encarnados' voltaram a saborear um triunfo na deslocação ao Marítimo. E não fizeram a coisa por menos, vencendo por um expressivo 3-0. Os golos, contudo, só apareceram no segundo tempo. Miccoli bisou (55' e 79') e Katsouranis fechou as contas da partida já em período de descontos, na conversão de uma grande penalidade, a castigar os insulares por falta sobre Manu.
Fruto do resultado, o Benfica subiu, provisoriamente, ao segundo lugar, ficando a aguardar o desfecho do Sporting-Naval (amanhã) para saber se mantém a posição de hoje ou se cai para terceiro.

Foto: Hugo Santos

Bwin Liga: Estrela respira melhor


A 26.ª jornada abriu esta sexta-feira na Reboleira. Na recepção ao Boavista, os 'tricolores' regressaram às vitórias (2-1), após cinco jogos sem ganhar. Os golos surgiram todos na segunda parte e nove minutos bastaram para fazer a história do encontro. Moses colocou os amadorenses na frente aos 61 minutos, mas a resposta axadrezada surgiu quatro minutos volvidos por intermédio de Hélder Rosário. No entanto, ao minuto 70, Luís Loureiro recolocou o Estrela da Amadora em vantagem, conferindo o resultado final da partida.
Com este desfecho, os pupilos de Daúto Faquirá passam a somar 28 pontos, ficando, provisoriamente, nove pontos acima da 'linha de água' e, por isso, mais próximos do objectivo da manutenção.
A ronda prossegue este sábado com o Marítimo-Benfica (18.45, Sporttv 2).

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Taça de Portugal: Belenenses e Sporting reencontram-se na final 47 anos depois

Os dois conjuntos lisboetas já não medem forças no Jamor desde 1960. A última vez que isso aconteceu foi motivo de festa para os apaniguados 'azuis', pois o Belenenses derrotou o Sporting por 2-1 e arrebatou o troféu. Esse foi o terceiro encontro dos dois clubes na final. Nas duas ocasiões anteriores foram os adeptos leoninos que saíram do Estádio Nacional com um sorriso nos lábios. Em 1941, os 'leões' conquistaram a primeira Taça de Portugal da sua história, precisamente, frente ao clube da 'Cruz de Cristo', vencendo por um esclarecedor 4-1. Sete anos volvidos, o conjunto 'verde-e-branco' voltou a infligir novo desaire aos homens do Restelo, desta feita por 3-1.
Assim sendo, nos confrontos directos em finais, o Sporting leva vantagem sobre o Belenenses. Resta aguardar pelo dia 27 de Maio para saber se os 'azuis' equilibram as contas ou se os homens de Alvalade alargam a supremacia em relação aos vizinhos do Restelo.

Taça de Portugal: Historial do Belenenses


Jorge Jesus conduziu o clube lisboeta à oitava final da sua história. O Belenenses, com três troféus conquistados, é, a par do Vitória de Setúbal, o quinto emblema com mais sucesso na prova. Apenas os três 'grandes' e o Boavista registam mais êxitos na Taça de Portugal. Nas sete anteriores finais, os 'azuis' foram derrotados quatro vezes, curiosamente sempre pelos rivais de Lisboa (duas pelo Benfica e duas pelo Sporting).
A última presença na final da competição coincide com a derradeira conquista. Há 18 anos, Marinho Peres orientou o clube da 'Cruz de Cristo' na vitória por 2-1 frente ao Benfica. Chico Faria e Juanico foram os autores dos tentos do Belenenses, enquanto que Vata marcou para os 'encarnados'.

As finais vitoriosas do Belenenses:
1942 - Vit. Guimarães 2-0
1960 - Sporting 2-1
1989 - Benfica 2-1

As finais perdidas pelo Belenenses:
1940 - Benfica 1-3
1941 - Sporting 1-4
1948 - Sporting 1-3
1986 - Benfica 0-2

Taça de Portugal: Historial do Sporting


Com a chegada ao Jamor nesta temporada, os 'leões' passam a ser a segunda equipa com mais presenças na final, atrás do Benfica (detentor de mais títulos [24]), e podem isolar-se como a segunda equipa com mais troféus na competição. O clube de Alvalade soma 13 Taças de Portugal na sua vitrina, tantas como o Porto, podendo agora ultrapassar o rival da 'Invicta'.
O Sporting esteve presente em 23 finais, tendo saído derrotado em dez ocasiões. A última vez que os 'verde-e-brancos' pisaram o relvado do Estádio Nacional foi há cinco anos, batendo o Leixões por 1-0, com um golo de Jardel, e arrecadando o troféu sob o comando do romeno Bölöni.

As finais vitoriosas do Sporting:
1941 - Belenenses 4-1
1945 - Olhanense 1-0
1946 - Atlético 4-2
1948 - Belenenses 3-1
1954 - Vit. Setúbal 3-2
1963 - Vit. Guimarães 4-0
1971 - Benfica 4-1
1973 - Vit. Setúbal 3-2
1974 - Benfica 2-1
1978 - Porto 2-1
1982 - Braga 4-0
1995 - Marítimo 2-0
2002 - Leixões 1-0

As finais perdidas pelo Sporting:

1952 - Benfica 4-5
1955 - Benfica 1-2
1960 - Belenenses 1-2
1970 - Benfica 1-3
1972 - Benfica 2-3
1979 - Boavista 0-1
1987 - Benfica 1-2
1994 - Porto 1-2
1996 - Benfica 1-3
2000 - Porto 0-2

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Taça Portugal: Belenenses na final


Os 'azuis' bateram esta quinta-feira o Braga, por 2-1, após prologamento, e juntam-se ao Sporting no derradeiro jogo da competição. Dady colocou os homens do Restelo na frente do marcador, logo aos seis minutos, mas os arsenalistas viriam a empatar ainda no primeiro tempo por Maciel, ao minuto 35. Na etapa complementar o marcador não seria alterado, levando as equipas para o 30 minutos suplementares. Reduzidos a dez unidades, por expulsão de Wender, por acumulação de amarelos, no início do prologamento, os bracarenses, bastante desgastados fisicamente (jogaram segunda-feira para a Liga, enquanto que o Belenenses o fez no sábado), passaram a ter como principal missão evitar o segundo golo dos visitados. A oito minutos do final, o árbitro Jorge Sousa apontou para a marca de grande penalidade, depois de Frechaut ter cortado um lance com o braço no interior na área do Braga, facto muito contestado pelos minhotos, e Zé Pedro carimbou o passaporte dos lisboetas para a final do Jamor.

BELENENSES - BRAGA, 2-1 (a.p.)
Estádio do Restelo
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)

Belenenses - Marco; Amaral (Carlitos, 89'), Rolando, Nivaldo e Rodrigo Alvim; Ruben Amorim, Cândido Costa (Sandro Gaúcho, 77'), Silas (Fernando, 77') e Zé Pedro; Dady e Garcês.
Treinador: Jorge Jesus
Braga - Paulo Santos; Frechaut, Paulo Jorge, Nem (Davide, 46') e Carlos Fernandes; Andrade (Castanheira, 79'), Vandinho e João Pinto; Maciel (Cesinha, 91'), Wender e Zé Carlos.
Treinador: Jorge Costa

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: Dady (6') e Zé Pedro (112'); Maciel (35')
Acção disciplinar: Cartão amarelo a Maciel, Wender(2), João Pinto, Silas, Nem, Carlos Fernandes, Amaral, Dady, Ruben Amorim, Frechaut e Paulo Santos. Cartão vermelho a Wender (98').

Foto: Miguel Ribeiro

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Tiago, o papa-títulos


O médio internacional português volta a estar de parabéns. O Lyon sagrou-se praticamente campeão de França pela sexta vez consecutiva, após um nulo frente ao Rennes nesta quarta-feira, partida em que o centrocampista luso foi titular. A seis jogos do termo da Liga, os homens de Gerard Houlier dispõem de 18 pontos de vantagem e têm uma goal-average superior em 27 tentos ao segundo classificado Toulose, pelo que, realisticamente, o título já não lhes fugirá.
Tiago junta assim mais um título ao seu palmarés, que, desde a época 2003/04, tem crescido anualmente. Desde então, todas as temporadas o 'camisola 21' do Lyon tem acrescentado troféus ao seu currículo, independentemente dos clubes que representa (Benfica, Chelsea e Lyon). Em quatro anos, o futebolista português conquistou seis títulos e, para além disto, pode mesmo gabar-se de ser campeão três anos consecutivos: um em Inglaterra e dois em França.

Os títulos de Tiago nas últimas quatro épocas:
2003/04
Taça de Portugal (pelo Benfica)
2004/05
Campeão inglês e vencedor da Taça da Liga inglesa (pelo Chelsea)
2005/06
Supertaça inglesa (pelo Chelsea)
Campeão francês (pelo Lyon)
2006/07
Campeão francês (pelo Lyon)

Foto: Hugo Santos

Taça de Portugal: Bis de Moutinho coloca Sporting no Jamor


Ao vencer o Beira-Mar por 2-1, os 'leões' alcançaram o estatuto de finalistas da competição. Com dois golos de João Moutinho (7' e 9'), a formação de Paulo Bento adquiriu uma vantagem no marcador que só viria a ser reduzida por Diarra (47'). Paco Soler apresentou uma equipa de segunda-linha, poupando algumas das principais unidades aveirenses para o embate diante da Académica, no próximo domingo, em jogo a contar para o Campeonato.
O Sporting aguarda agora pelo desfecho da outra meia-final para saber qual o opositor no encontro decisivo da prova, a 27 de Maio. Belenenses e Braga defrontam-se amanhã no Restelo, saindo deste prélio o outro finalista.

SPORTING - BEIRA-MAR, 2-1
Estádio de Alvalade
Árbitro: Paulo Paraty (Porto)

Sporting - Ricardo; Abel, Caneira, Polga e Tello; Miguel Veloso, João Moutinho, Romagnoli (Pereirinha, 46') e Nani (Tonel, 86'); Yannick (Alecsandro, 72') e Liedson.
Treinador: Paulo Bento
Beira-Mar - Eduardo; Jorge Vidigal, Alcaraz e Ricardo; Diakité, André Leão, Veselinovic (Diarra, 46'), Matheus e Vasco Matos (Ribeiro, 83'); Roma (Edgar, 63').
Treinador: Paco Soler

Ao intervalo: 2-0
Marcadores: João Moutinho (7' e 9') e Diarra (46')
Acção disciplinar: cartão amarelo a Polga e André Leão.

Foto: Hugo Santos

História: Manchester United e Chelsea só se defrontaram uma vez na final da Taça de Inglaterra


'Red devils' e 'blues' são na época em curso rivais a tempo inteiro. Ambos os conjuntos estão a disputar a conquista da Premier League, internacionalmente ainda marcam presença na Liga dos Campeões e, por força do sorteio, podem mesmo encontrar-se no jogo decisivo da prova. Mas, para além disto, as equipas comandadas por Alex Ferguson e José Mourinho apuraram-se no passado fim-de-semana para a final da Taça de Inglaterra. São, portanto, concorrentes em todas as frentes.
Centremo-nos, no entanto, na última competição a ser referida. Por estranho que pareça nos dias de hoje, Manchester United e Chelsea apenas se encontraram numa final da Taça de Inglaterra. A 14 de Maio de 1994, em Wembley, perante 79.634 espectadores, os 'red devils' impulsionados por um endiabrado Eric Cantona não deram qualquer chance aos londrinos, então comandados por Glenn Hoddle (que acumulava funções de técnico e jogador), vencendo por 4-0, resultado construído no segundo tempo. Cantona (61' e 67'), Mark Hughes (69') e Brian McClair (90') permitiram a Alex Ferguson saborear a 'dobradinha', visto que o clube de Old Trafford havia conquistado o título inglês dessa época, com oito pontos de vantagem sobre o Blackburn. De todos os jogadores presentes nessa partida, apenas um poderá repetir a presença numa final entre os dois emblemas: Ryan Giggs. O extremo-esquerdo galês jogou os 90 minutos do desafio.
Como curiosidade, ficam aqui apresentadas as constituições das duas equipas:
Manchester United - Schemeichel; Parker, Pallister, Bruce e Irwin (Sharpe); Paul Ince, Roy Keane, Kanchelskis (McClair) e Giggs; Cantona e Hughes.
Treinador: Alex Ferguson
Chelsea -Kharine; Clarke, Newton, Kjeldbjerg e Johnsen; Sinclair, Spencer, Burley (Hoddle) e Wise; Stein (Cascarino) e Peacock.
Treinador: Glenn Hoddle

terça-feira, 17 de abril de 2007

Bwin Liga: Benfica cai para terceiro


Terminou sem golos o derradeiro encontro da ronda mais produtiva em termos de concretização (25 tentos). Ao empatar a zero com o Braga, os 'encarnados' somaram o terceiro empate consecutivo no Campeonato, caindo para o terceiro lugar e deitando, praticamente, por terra as hipóteses de chegar ao título.
À semelhança dos últimos jogos, o Benfica esteve longe de realizar uma boa exibição, revelando, mais uma vez, pouca frescura física. Ainda assim, os pupilos de Fernando Santos criaram ocasiões suficientes para vencer a partida, mas Simão, Mantorras (que desta feita entrou ao intervalo) e Karagounis, este num remate à barra após brilhante jogada individual já nos minutos finais, foram incapazes de concretizar.
Assim sendo, as 'águias' estão agora a um ponto do Sporting e a cinco do líder Porto.

Resultados e marcadores da 25.ª jornada
Sporting - Marítimo, 4-0 (Liedson, Romagnoli, João Moutinho e Alecsandro)
Belenenses - Estrela Amadora, 3-0 (Garcés [2] e Dady)
Académica - Porto, 1-2 (Lino [g.p.]; Bruno Alves e Adriano)
Naval - Paços Ferreira, 1-1 (Saulo; Renato Queirós)
Vit. Setúbal - Beira-Mar, 1-3 (Sandro; Edgar [2] e Ratinho)
Nacional - Aves, 3-4 (Cássio e Diego [2]; Filipe Anunciação, Paulo Sérgio [2] e Moreira)
Boavista - União Leiria, 1-1 (Hélder Rosário; Cadu da Silva)
Benfica - Braga, 0-0

Classificação
1.º PORTO 59 pontos
2.º Sporting 55
3.º Benfica 54
4.º Belenenses 43
5.º Braga 39
6.º Paços Ferreira 36
7.º União Leiria 32
8.º Nacional 32
9.º Naval 31
10.º Marítimo 30
11.º Boavista 29
12.º Estrela Amadora 25
13. Académica 22
14.º Beira-Mar 19
15.º Vit. Setúbal 19
16.º Aves 19

Melhores marcadores
1.º Simão (Benfica) 11
2.º Hélder Postiga (Porto) e Liedson (Sporting) 10
4.º Dady (Belenenses), Linz (Boavista) e Nei (Naval) 9
7.º Zé Pedro (Belenenses) e Adriano (Porto) 8
9.º Mbesuma (Marítimo) e Lucho González (Porto) 7

Fotos: Hugo Santos

domingo, 15 de abril de 2007

Bwin Liga: Luta pela manutenção ao rubro


Ainda incompleta (falta realizar o Benfica-Braga), a 25.ª ronda do Campeonato aumentou as incertezas em relação às equipas que descerão à Liga de Honra. Aves e Beira-Mar, este com um triunfo sobre o concorrente Vitória de Setúbal, venceram fora de portas, fazendo com que os três últimos classificados registem a mesma pontuação e estando somente a três pontos da Académica e seis do Estrela da Amadora, conjuntos que seguem imediatamente à frente na tabela.
Na luta pelo título, o Porto deu mais um passo em frente rumo à revalidação do ceptro. Os 'dragões' venceram em Coimbra, por 2-1, mantendo a distância de quatro pontos para o Sporting, que goleou o Marítimo, e esperando pelo resultado do Benfica.
Nota de destaque ainda para o Belenenses. Os 'azuis' voltaram a vencer, pela quinta vez consecutiva, goleando o Estrela da Amadora, por 3-0, e consolidaram o quarto lugar europeu. De assinalar também que os pupilos de Jorge Jesus levam já seis jogos sem sofrer golos.

sábado, 14 de abril de 2007

Bwin Liga: Sporting coloca pressão sobre os rivais


A 25.ª jornada abriu com uma vitória concludente dos 'leões' ante o Marítimo. Com um golo madrugador de Liedson - o mais rápido da Liga -, logo aos dez segundos de jogo, os pupilos de Paulo Bento adquiriram a tranquilidade necessária para garantir um triunfo robusto por 4-0. Romagnoli, ainda no primeiro tempo, João Moutinho e Alecsandro foram os autores dos restantes tentos 'verde-e-brancos'.
Com este resultado, o Sporting subiu, provisoriamente, ao segundo lugar da tabela, com mais dois pontos que o Benfica e ficando somente a um do Porto. Os 'dragões' jogam este sábado em Coimbra, frente à Académica, enquanto que os 'encarnados' só entram em campo segunda-feira, recebendo o Braga.

Foto: Hugo Santos

sexta-feira, 13 de abril de 2007

História: Benfica não atinge meia-final europeia há 13 anos


Abril de 1994. Os 'encarnados' deslocavam-se a Itália para defrontar o Parma, na segunda-mão da semi-final da Taça das Taças, após uma vitória por 2-1 na Luz. A equipa então orientada por Toni esteve perto de atingir a final da competição, mas viria a ser afastada ao perder por 1-0. Um golo tardio dos transalpinos - numa partida em que o Benfica actuou grande parte do jogo reduzido a dez unidades, por expulsão de Mozer ainda no primeiro tempo - deitou por terra as ambições das 'águias'.
Foi essa a derradeira meia-final do clube da Luz numa prova europeia. Aconteceu, portanto, há 13 anos.
Desde essa data, os 'encarnados' estiveram perto de lograr repetir a presença nessa fase adiantada de uma competição da UEFA em quatro ocasiões. Contudo, sucumbiram sempre nos quartos-de-final: duas vezes na Liga dos Campeões, uma na Taça das Taças e uma na Taça UEFA (ontem).
Em 1994/95 e na época transacta, o Benfica entrou no grupo dos oito melhores da Liga dos Campeões, caindo aos pés de Milão e Barcelona, respectivamente.
Duas temporadas depois, as 'águias' foram eliminadas pela Fiorentina, de Rui Costa, na Taça das Taças.
Por fim, ontem o clube da Luz foi afastado pelo Espanhol, quando havia apostado forte na conquista da Taça UEFA.
Como curiosidade, há a salientar que os 'encarnados' disputaram a última final europeia em Maio de 1990, perdendo a Taça dos Campeões Europeus para o Milão.

Benfica na Europa desde a última meia-final da sua história:
94/95 - Quartos-de-final da Liga dos Campeões
95/96 - 3.ª eliminatória da Taça UEFA
96/97 - Quartos-de-final da Taça das Taças
97/98 - 1.ª eliminatória da Taça UEFA
98/99 - 2.º classificado na fase de grupos da Liga dos Campeões
99/2000 - 3.ª eliminatória da Taça UEFA
2000/01 - 1.ª eliminatória da Taça UEFA
2001/02 - Não participou
2002/03 - Não participou
2003/04 - 4.ª eliminatória da Taça UEFA
2004/05 - 32avos-de-final da Taça UEFA
2005/06 - Quartos de final da Liga dos Campeões
2006/07 - Quartos-de-final da Taça UEFA

Taça UEFA: Sonho europeu do Benfica embateu nos postes


O clube da Luz ficou arredado da Europa, após um nulo caseiro ante o Espanhol. A necessitar de uma vitória (1-0 era o suficiente) para seguir em frente na competição, os 'encarnados' voltaram a patentear cansaço e tiveram algum azar na etapa complementar: dois rematates (de Miccoli e Rui Costa) embateram no poste. No entanto, na primeira parte a sorte também protegeu Quim, que viu Pandiani acertar no ferro da sua baliza.
Em suma, o Benfica voltou a dar 45 minutos de avanço ao adversário e não se pode queixar unicamente do azar. O conjunto português é superior aos catalães e reunia todas condições para continuar a sonhar com a final de Glasgow. Não aproveitou a benesse concedida pelo sorteio, pois o Espanhol estava longe do poderio de equipas como Sevilha, Werder Bremen ou Tottenham.
Do rescaldo de todos os jogos, há a destacar o predomínio espanhol, que conta com três dos quatro semi-finalistas da prova.

Resultados dos quartos-de-final:
Benfica - Espanhol (Esp.), 0-0 (2-3)
Werder Bremen (Ale.) - AZ Alkmaar (Hol.), 4-1 (4-1)
Tottenham (Ing.) - Sevilha (Esp.), 2-2 (3-4)
Osasuna (Esp.) - Bayer Leverkusen (Ale.), 1-0 (4-0)

Meias-finais (26 de Abril e 3 de Maio):
Espanhol - Werder Bremen
Sevilha - Osasuna

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Liga dos Campeões: Noite em grande para ingleses

Estão encontrados os primeiros dois semi-finalistas da 'Champions': Chelsea e Manchester United. Ambas as equipas entraram para o segundo embate em desvantagem, mas ambas conseguiram desenvencilhar-se dos seus opositores e atingir a próxima fase da prova.
Os 'blues', de José Mourinho, haviam empatado a uma bola com o Valencia na semana passada, tendo, por isso, que vencer ou empatar por mais de um golo para alcançar o objectivo. A tarefa não era fácil e mais complicada ficou quando Morientes deu vantagem á formação espanhola, aos 32 minutos. Contudo, os londrinos apareceram de cara lavada na etapa complementar e inverteram o marcador, com golos de Shevchenko e Essien, este já em período de descontos. Mourinho segue, assim, em frente na competição e dá uma 'bofetada de luva branca' aos seus detractores internos.
Na outra meia-final, os 'red devils' fizeram jus à alcunha, devorando uma Roma irreconhecível. Necessitados de vencer (1-0 era suficiente), os diabos de Manchester já venciam por 3-0 aos 17 minutos. Os italianos viram a sua estratégia cair por terra, perderam-se por completo e o 'placard' foi-se dilatando até atingir uma marca final à moda antiga: 7-1. Mais uma vez, o português Cristiano Ronaldo esteve em plano de evidência, contribuindo com dois tentos e uma assistência para a humilhação romana.

Foto: Hugo Santos

terça-feira, 10 de abril de 2007

Pergunta da semana: Benfica ainda tem condições para ser campeão?


Se à entrada para a 24.ª jornada a equipa 'encarnada' não dependia exclusivamente dos seus desempenhos para chegar à liderança do Campeonato, a situação agravou-se com o empate em Aveiro. As 'águias' têm, agora, que vencer os seis restantes e derradeiros embates e esperar por dois deslizes do Porto para atingir o primeiro posto. Será ainda possível ao clube da Luz erguer o título 2006/2007? Deixe a sua opinião.

Bwin Liga: Benfica tropeça e deixa Porto fugir


Ficou esta noite concluída a 24.ª jornada do Campeonato Nacional. O Benfica, conhecedor da categórica vitória do Porto na sexta-feira, entrou em Aveiro com necessidade de alcançar os três pontos, sob pena de ver dilatada a sua desvantagem para o líder. E esse facto veio mesmo a verificar-se. Os 'encarnados', que estiveram a perder por duas vezes, não foram além de uma igualdade a duas bolas, ante o Beira-Mar, complicando mais o objectivo de alcançar o ceptro nacional. A distância para o Porto aumentou para três pontos, que, em caso de igualdade pontual, equivalem a quatro. Deste jogo, resta salientar as críticas aveirenses ao trabalho do árbitro Lucílio Baptista, sobretudo pelo lance nos descontos que deu a grande penalidade que proporcionou o empate ao Benfica.
Os 'dragões' golearam tranquilamente o Vitória de Setúbal por 5-1, com Hélder Postiga (na foto) a regressar aos golos. Como nota negativa, há a salientar a lesão do central Pepe, ausente nos próximos compromissos da equipa 'azul-e-branca'.
Ainda na luta pelo título, o Sporting não facilitou na difícil visita a Braga. Um golo solitário de Nani valeu a conquista de três pontos aos 'leões', que, desta forma, se aproximaram do eterno rival. A diferença é agora de um ponto a favor das 'águias'.
Na luta por um lugar Europeu, o Belenenses foi mais uma vez o vencedor da ronda. Os 'azuis' registaram a quarta vitória consecutiva, todas sem sofrer golos, e ultrapassaram os bracarenses na classificação. Também o Paços de Ferreira deu um importante passo nesta disputa, ao bater o concorrente Nacional, com Geraldo em plano de evidência, ao apontar os dois tentos pacenses. Recorde-se que o sexto lugar pode abrir uma vaga automaticamente uma europeia, mediante o que acontecer na Taça de Portugal.
Na cauda da classificação, o Aves largou o último lugar por troca com o Beira-Mar, após vencer o Boavista. Ambos têm 16 pontos e estão a três do Vitória de Setúbal.

Resultados e marcadores da 24.ª jornada

Porto - Vit.Setúbal, 5-1 (1-0, Jorginho, 4'; 2-0, Adriano, 16'; 3-0, Hélder Postiga, 21'; 4-0, Adriano, 36'; 4-1, Bruno Ribeiro, 61'; 5-1, Anderson, 77')
Estrela Amadora - Académica, 3-3 (0-1, Cláudio Pitbull, 5'; 1-1, Anselmo, 27'; 2-1, Dário, 43'; 2-2, Joeano, 54'; 2-3, Joeano, 65'; 3-3, Jaime, 67' [g.p.])
Aves - Boavista, 1-0 (Moreira, 60')
Marítimo - Naval, 1-1 (1-0, Gregory, 13'; 1-1, Pimenta, 81')
Paços Ferreira - Nacional, 2-1 (0-1, Leandro Bomfim, 6'; 1-1, Geraldo, 74'; 2-1, Geraldo, 85')
União Leiria - Belenenses, 0-1 (dady, 67')
Braga - Sporting, 0-1 (Nani, 58')
Beira-Mar - Benfica, 2-2 (1-0, Ratinho, 24'; 1-1, Mantorras, 83'; 2-1, Delibasic, 87'; 2-2, Simão, 90' [g.p.])

Classificação
1.º Porto 56 pontos
2.º Benfica 53
3.º Sporting 52
4.º Belenenses 40
5.º Braga 38
6.º Paços Ferreira 35
7.º Nacional 32
8.º União Leiria 31
9.º Marítimo 30
10.º Naval 30
11.º Boavista 28
12.º Estrela Amadora 25
13. Académica 22
14.º Vit. Setúbal 19
15.º Aves 16
16.º Beira-Mar 16

Melhores marcadores
1.º Simão (Benfica) 11
2.º Hélder Postiga (Porto) 10
3.º Liedson (Sporting), Linz (Boavista) e Nei (Naval) 9
6.º Dady e Zé Pedro (Belenenses) 8
8.º Mbesuma (Marítimo), Adriano e Lucho González (Porto) 7

*Nota: Fotos de Hugo Santos

sábado, 7 de abril de 2007

Entrevista - David Caiado: “Regressar ao Sporting na próxima época é o meu objectivo”

As primeiras fintas foram ensaiadas no Luxemburgo. Veio para Portugal aos 12 anos, ingressando na Académica. Mas rapidamente lhe foram reconhecidos dotes acima da média. Disputado por Sporting e Porto, acabou por ingressar em Alvalade. Hoje, aos 19 anos, está cedido pelos ‘leões’ ao Estoril na sua primeira época de sénior, sendo apontado como uma das promessas do futebol português.
Conheça, nesta entrevista, o passado, o presente e as expectativas futuras de David Caiado.


Rola a Bola - Quando e onde começou a dar os primeiros pontapés na bola?
David Caiado – Comecei aos seis anos no Luxemburgo, local onde nasci, numa equipa chamada Swift Hesperange. Estive lá até aos 12 anos e depois vim para Portugal. Fiz uma época na Académica e quando tinha 13 anos ingressei no Sporting.
- Como surgiu o convite do Sporting?
- Lembro-me que foi tudo muito rápido. Cheguei a Portugal em Agosto e em Setembro surgiu o interesse do Sporting e do Porto. Durante esse ano ligaram-me muitas vezes para casa e estava indeciso, mas acabei por optar pelo Sporting.
- Veio para Lisboa muito novo. Como foi esse período longe da família e a viver num meio completamente diferente?
- Foi complicado passar de uma aldeia, onde morava, para uma cidade enorme e muito diferente. Tive a ajuda de um amigo, com quem vim morar em Lisboa, mas foi complicado no início. Senti dificuldades, principalmente, nos dois primeiros anos. Depois fui-me adaptando e hoje estou bem ambientado.
- Chegou a passar-lhe pela cabeça desistir do sonho em algum momento de maior fraqueza?
- Sim. Muitas vezes ligava à minha mãe e dizia que queria voltar… Ela dizia-me que eu tinha feito uma opção e que tinha que continuar a lutar por aquilo que queria. Muitas vezes os meus pais vinham visitar-me, ver os jogos e, no final do dia, quando iam regressar para casa pedia-lhes para voltarem outra vez, para estar mais tempo com eles. Hoje dá-me vontade de rir com a situação, mas foi uma fase complicada.
- Mas a sua família sempre o apoiou…
- Sim, sempre me apoiou em tudo. Isso foi bastante importante para mim. Até hoje, são raros os jogos que eles falharam.

“TENHO CRESCIDO COMO HOMEM E JOGADOR”

- Este é o seu primeiro ano de sénior. Sentiu alguma dificuldade na transição do futebol de formação para o profissional?
- Penso que há aquela dificuldade natural relacionada com a experiência dos jogadores. De resto, não notei muitas diferenças porque vinha de um Campeonato Nacional de juniores muito competitivo, em que fomos campeões e tínhamos uma equipa com bastante maturidade. Não senti grandes dificuldades, tanto eu como os meus colegas, na passagem de júnior para sénior.
- Estava habituado a estar num clube como o Sporting que joga sempre para ganhar, enquanto que agora no Estoril apenas luta pela manutenção. Como se encaixou nesta diferente mentalidade competitiva?
- No início foi complicado. No Sporting era raro chegar triste ao balneário, agora chego algumas vezes. Já tivemos quatro ou cinco derrotas seguidas e sentimos o ambiente um bocado pesado, mas penso que isso é natural, são coisas da vida... No entanto, penso que estou a aprender com esta situação.
- Qual o balanço que faz da temporada (13 jogos e um golo)?
- Tem sido uma época boa em termos de experiência, porque tenho aprendido bastante, até pelo facto de estar a viver com um amigo [Zezinando, também jogador do Sporting emprestado ao Estoril] e isso ser diferente de viver na Academia, pois sou completamente independente. Em termos desportivos, realmente, não tem sido a época que esperava. No início as coisas estavam a correr bem, mas à 3.ª jornada surgiu uma lesão na Selecção e isso impediu-me de fazer aquilo que gosto durante muito tempo, tendo feito depois ainda alguns jogos limitado. Agora estava a voltar à minha forma e à equipa e voltei a lesionar-me, mas penso que vou dar a volta por cima.
- Apesar desses contratempos, sente uma evolução como jogador nesta passagem pelo Estoril?
- Sim, tenho crescido como homem e como jogador. Os jogos, realmente, não me têm ajudado a crescer como gostaria, devido às lesões. Mas, em termos de treino, sinto que estou a melhorar todos os dias.

“SPORTING? ESTOU PREPARADO”


- Sente-se mais preparado para se impor de ‘leão’ ao peito?
- Sim. Se isso tiver que acontecer, depois logo se verá a distância que há entre mim e os outros. Mas penso que estou preparado.
- Regressar ao Sporting já na próxima época é o seu objectivo?
- É, sem dúvida. Regressar ao Sporting na próxima época é o meu objectivo. Quando me surgiu o convite do Estoril, foi com o pensamento de que na próxima época poderia integrar a equipa do Sporting.
- O técnico leonino, Paulo Bento, tem apostado em diversos jovens da ‘cantera’, alguns dos quais jogaram consigo, e conhece-o bem porque foi treinado por ele. Isso alarga as suas expectativas?
- Sim, alarga. Os jogadores que estão a vingar neste momento no Sporting são jogadores com os quais tive o prazer de jogar e que têm muitas qualidades. Penso que também posso fazer parte desses jogadores que lá estão.
- Sente-se acompanhado pelos responsáveis do Sporting?
- Sim. Várias pessoas do Sporting nos acompanham todos os meses. Para além disso, todos os fins-de-semana, o nosso presidente, Filipe Soares Franco, está a ver os nossos jogos. Sentir o apoio das pessoas e sentir que nos acompanham é importante para nós.
- Tem alguma indicação do clube de como será o futuro?
- Não, não tenho qualquer indicação. Ainda faltam sete jogos para terminar a época e penso que, na altura certa, vão falar comigo.
- Tem sido noticiado que o Estoril está interessado na sua permanência no plantel. Caso não se concretize o regresso a Alvalade, continuar na Amoreira é uma possibilidade válida?
- Sim, é uma possibilidade válida. Mas, agora, o mais importante é jogar os últimos sete jogos e depois, sim, pensar no futuro. Neste momento é complicado estar a prever as coisas, mas o Estoril é uma opção válida porque estou a gostar de trabalhar com as pessoas com quem trabalho.

“É UM OBJECTIVO ESTAR NO MUNDIAL SUB-20”


- Como referiu faltam sete jogos para terminar a época. Serão certamente encontros importantes para atingir, certamente, o objectivo de marcar presença no Mundial sub-20, no Verão?
- Sim, sem dúvida. Não fiz parte do último lote de convocados para a Selecção [estágio a 9 de Abril], mas penso que também foi fruto de não ter sido muito utilizado no Estoril, sobretudo devido às lesões. É um objectivo estar no Mundial sub-20, tal como antes estar também no Torneio de Toulon.
- Acha que Portugal pode repetir as façanhas de 1989 e 1991, sagrando-se novamente campeão do Mundo?
- Penso que isso é muita pressão para o nosso lado. Temos que pensar um jogo de cada vez, tal como a Selecção A fez no último Mundial. Tentar passar a fase de grupos é o nosso objectivo, depois, a partir daí, é uma questão de sorte e de carácter também.
- Tem algum conhecimento dos adversários da fase de grupos: México, Nova Zelândia e Gambia?
- Já falámos disso no último estágio. O México, à partida, é a equipa mais forte. Pelo menos, é a que tem mais nome no grupo, juntamente connosco, que somos uma equipa respeitada na Europa e no Mundo. A Nova Zelândia será sempre uma equipa complicada de defrontar, pois são jogadores muito fortes fisicamente. Por fim, a Gambia é uma equipa africana e será sempre complicado.

Curtas

Admirador de Cristiano Ronaldo

David Caiado tem como ídolo o futebolista do Manchester United, que, curiosamente, actua na mesma posição e também foi formado no Sporting: “É um jogador que acompanhei nas camadas jovens e desde os 16 anos que vi a qualidade que tinha. O que está a fazer hoje não me surpreende nada.”

Benfiquista convertido em ‘leão’

Quando era mais novo, o coração do actual jogador do Estoril não batia pelo Sporting, clube ao qual está contratualmente ligado até 2009. O pequeno David torcia pelo eterno rival. “Era benfiquista quando era pequenino. Mas, ao longo dos anos que fiz a minha formação no Sporting, fui aprendendo a gostar do clube. Sinto muito carinho pelo Sporting e, neste momento, sinto-me sportinguista”, confessa o internacional sub-20.

Estreia pela equipa sénior do Sporting

O extremo jamais esquecerá a data de 7 de Janeiro de 2006. Nesse dia, David Caiado estreou-se na equipa profissional leonina e também na I Liga. O palco foi o Estádio Municipal de Braga, na deslocação do Sporting à cidade dos arcebispos. “Dois dias antes do jogo, o ‘mister’ Paulo Bento disse-me que ia ser convocado e, que se fosse preciso entrar, para estar tranquilo. Foi uma satisfação enorme. Lembro-me de estarmos a perder 2-0 e de termos empatado. Fui aquecer, sofremos o 3-2 quando faltavam dez minutos para acabar, e o ‘mister’ Paulo Bento chamou-me para entrar. Entrei tranquilo, tentei dar o melhor, mas não conseguimos dar a volta ao resultado. Como positivo ficou a estreia, como negativo a derrota”, conta o jogador.

*Nota: Fotos cedidas pelo jogador

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Judo: Mais uma conquista para Telma Monteiro

A judoca nacional revalidou hoje, em Belgrado (Sérvia), o titulo de campeão europeia na categoria de -52 Kg. Telma Monteiro venceu os seis combates que teve pela frente, repetindo o feito do ano passado, na Finlândia, e consolidou o estatuto de número um do ranking mundial.

Entrevista a David Caiado


Estreou-se pelos seniores do Sporting na deslocação a Braga da última época e é uma das grandes promessas do futebol leonino e português. Emprestado ao Estoril, o extremo sonha com o regresso a Alvalade e tem por objectivo participar no próximo Mundial sub-20. Conheça a sua história e os seus objectivos sábado à noite, em entrevista ao Rola a Bola.

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Taça UEFA: Tudo em aberto para a Luz

Ao perder por 3-2 em Barcelona, ante o Espanhol, o Benfica mantém intactas as aspirações em continuar na prova.
Com 58 minutos jogados, os 'encarnados' perdiam por 3-0 e viviam num autêntico inferno. No entanto, em dois minutos, os portugueses alcançaram dois preciosos tentos - através de Nuno Gomes e Simão -, que os recolocaram na eliminatória. Na próxima semana, em Lisboa, as 'águias' necessitam de vencer, pelo menos, por 1-0 para atingir as meias-finais da competição.

Resultados da primeira-mão dos quartos-de-final:
Bayer Leverkusen (Ale.) - Osasuna (Esp), 0-3 (Cuellar, 1'; Lopéz, 71'; Webo, 73')
AZ Alkmaar (Hol.) - Werder Bremen (Ale.), 0-0
Sevilha (Esp.) - Tottenham (Ing.), 2-1 (0-1, Robbie Keane, 1'; 1-1, Kanouté, 20' [g.p.]; 2-1, Kerzhakov, 36')
Espanhol (Esp.) - Benfica, 3-2 (1-0, Tamudo, 15'; 2-0, Nélson, 33' [p.b.]; 3-0, Pandiani, 58'; 3-1, Nuno Gomes, 63'; 3-2 Simão, 65')